Eletrônica

Circuito simples de um testador de portas USB.

Quem em algum momento não queimou seu Pendrive ao “espetá-lo” em um micro com as portas USB invertidas ? O circuito abaixo possibilita que testemos a porta USB antes de usá-la, evitando grandes dores de cabeça. Os componentes são de fácil aquisição e baixo custo. Trata-se de dois LED´s, um vermelho e outro verde, um resistor de 470 Ohms e dois diodos 1N4148. A montagem deve ser feita utilizando-se um conector USB de um Pendrive queimado, ou um cabo USB que já não funciona mais. Com um pouco de capricho e um ferro de solda não levaremos mais do que 15 minutos para executar as soldagens.

O envólucro para acabamento vou deixar por conta de sua criatividade… Boa prática.

Algumas considerações na hora de testar:

Obviamente se o LED vermelho acender, sua porta esta invertida, sendo que se estiver com polaridade correta o LED verde acenderá.

Caso nenhum dos dois acenda, indica que ou o positivo ou o negativo estão desconectados da interface na motherboard.

Se ao testar o Windows ou o Linux enviar mensagem de “dispositivo desconhecido”, indica que os terminais centrais estão trocados, não acarretando porém dano ao Pendrive. Neste caso deverão ser ligados em sua posição correta. Procure se guiar sempre pelo manual da placa mãe. Se não estiver disponível, voce pode encontrar o manual da mesma no site do fabricante.

TesteUSB

Código de cores de resistores e capacitores


Circuito do espanta pernilongosEspanta Pernilongos

Foto da montagem experimental em protoboard 300 pontos.
Lista de componentes

01 CI 4011 – 4 portas Nand de 2 entradas.

01 capacitor cerâmico de 2,2 nF (C1)

02 resistores de 10 KΩ (R2 e R3)

01 resistor de 47 KΩ (R1)

01 potenciometro de 100 KΩ (P 1)

01 Transistor TIP 31 (T 1)

01 Alto falante pequeno de 8 Ω (SPK)

 

 

 


Algumas observaçõesApós algum tempo procurando corrigir o circuito que tinha em mãos, resolvi pedir ajuda à um colega de trabalho afim de modificar o circuito original, uma vez que o esquema que eu possuía continha erros e o projeto original foi perdido. Com muita ajuda do Maurício que tem larga experiência com eletrônica, conseguimos chegar a um dispositivo que supera em muito o projeto original. Ele colocou as portas interligadas em realimentação afim de alcançar um ganho maior e ainda de quebra adicionou um transitor Tip31Cpara dar maior potência na saída do sinal. O som tornou-se mais incômodo para nós humanos quando ajustamos o potenciômetro e está emitindo em nossa frequência auditiva. Constatado esse fato, concluímos que deve estar também bem mais incômoda para os mosquitos quando na faixa de frequência destes insetos.Aproveito para agradecer ao Maurício pela ajuda para que eu pudesse colocar o projeto na página em tempo para que os alunos do curso de hardware pudessem concluir suas montagens.

A montagem não tem muito segredo. Basta prestar bastante atenção ao efetuar as ligações, uma vez que durante a soldagem é possível que nos enganemos com as pinagens do CI e também com as pinagens do transitor. Voces também podem notar no esquema que as portas estão ligadas em realimentação, ou seja, a saída da primeira porta NAND na entrada da segunda; a saída da segunda na entrada da terceira e finalmente a saída da terceira na entrada da quarta e última porta afim de obter uma ganho maior de sinal. Por fim esta saída e conectada a base do transistor, através de seu resitor de polarização (R3 de 10 K Ω e ligando-se o emissor do mesmo no alto falante. O outro polo do alto falante vai ligado ao negativo da fonte de alimentação. Ao coletor do transitor liga-se a alimentação do dispositivo (Vcc + 7V.), não tendo necessidade de dissipador pois o aquecimento é mínimo.